Edições do Bosque

Em 2014, o Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Santa Catarina deu início à edição de livros eletrônicos que ficam disponíveis on line, de forma gratuita, para o público em geral. Trata-se de uma iniciativa que procura a diminuição dos custos de edição e publicação, além de uma maior divulgação do trabalho dos autores. São as Edições do Bosque.

As Edições do Bosque tem como foco a publicação de obras originais e inéditas que tenham impacto no mundo acadêmico e interlocução com a sociedade. Compõe-se de um conjunto de Coleções Especiais que compreendem “Sociedade e Meio Ambiente”, “Relações de Gênero e Diversidade”, “Populações Tradicionais”, “Movimentos Sociais e trabalhadores”, “Saúde e Sociedade” e “Teses e Dissertações”. A tônica da Editoria é aproximar os autores do público leitor, oferecendo publicação aos autores com agilidade e acesso universal e gratuito aos leitores, através dos meios digitais disponíveis. A Editoria do Bosque conta com conceituado Conselho Editorial, comissão organizadora e com a estrutura profissional do Núcleo de Publicações (NUPPE) do CFH. São publicações com registro de ISBN e acessíveis no repositório da Universidade Federal de Santa Catarina.

Acesse as publicações:

Evolução, Cultura e Comportamento Humano

Os comportamentos apresentados pelas pessoas são resultados, também, da história produzida ao longo processo de evolução da nossa espécie. A partir desse pressuposto, o presente livro tem como objetivo apresentar reflexões sobre temas relacionados com evolução, cultura e comportamento humano na contemporaneidade. São apresentadas questões recentes e tendências atuais que integram diferentes níveis de explicações sobre as causas do comportamento. Procura-se mostrar que em vez de separar as várias dimensões do comportamento humano em dicotomias (inato versus aprendido; cultural versus biológico), a integração entre esses fatores certamente é uma estratégia promissora. Caro leitor, convidamos você a compartilhar conosco nessa fascinante aventura para se compreender a complexidade do ser humano. O objetivo é propiciar reflexões que provoquem mudanças em nossa forma de pensar.

Geografia e inclusão escolar: teoria e práticas

Esta coletânea criteriosamente organizada tem a finalidade de abordar a temática da inclusão escolar no ensino de geografia, e colaborar para a necessária aproximação entre a academia e a escola enquanto entrelaça teorias e práticas. A organização é pautada em três vertentes: nas palestras de convidados que colaboraram na disciplina de Ensino de Geografia e Inclusão Educacional ministrada no Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFSC (PPGG); nas pesquisas e orientações de dissertações desenvolvidas pela organizadora no âmbito PPGG; nos trabalhos apresentados e discutidos pelos alunos (alguns deles professores na escola pública) nas aulas da pós-graduação.


Porque jamais existiu uma Idade Média e temas afins. Um livro para quem gosta de Filosofia

Todos os temas deste livro relacionam-se, de certa forma, aos questionamentos sobre a “não existência” da Idade Média. É isso mesmo. A partir da discussão sobre a necessidade de uma nova cronologia para nossa história, e a partir de reflexões principalmente sobre os períodos patrístico (notadamente Agostinho) e escolástico, foram apresentados aos alunos diversos assuntos que, não obstante relacionados ao nosso dia-a-dia (trivial ou não), têm algo a ver com esses períodos. A estereotipia Idade Média igual a “astenia cultural”, “domínio irrestrito da Igreja”, ou “fanatismo religioso” vem retrocedendo. A Idade Média concebida como Idade das Trevas – um desses desvios históricos cuja anomalia o distanciamento torna cada vez mais patente – lentamente perde força. À lenda negra dos renascentistas e iluministas contrapõe-se a lenda rosa dos românticos: a Idade Média representaria não a derrocada (barbárie), mas o auge da civilização ocidental, em que se teriam realçados os valores espirituais. Todavia, nem negra, nem rosa, podemos ir mais além: não teria existido período mediano algum, de 1000 anos (a Idade Média), ou um hiato entre a civilização da Roma antiga e a nova Europa civilizada. Não se trata apenas de uma questão terminológica (a expressão “Idade Média” já seria em si mesma preconceituosa e arbitrária) e, portanto, de criticar uma cronologia hoje obsoleta, que divide a História Ocidental, a partir de uma visão eurocêntrica, em três períodos presos a uma camisa-de-força conceitual.

Geografia econômica: pesquisa e ensino na ação docente

O livro é composto de duas partes que podem ser lidas de forma independente, ambas com grande riqueza teórica e exemplos empíricos, o que facilita o entendimento da abordagem dos autores sobre o assunto. É possível também fazer uma leitura conjunta, na qual as duas partes do livro se complementam, mostrando como o ensino e a pesquisa se inter-relacionam e como é possível o uso de estudos comparativos na explicação de temas ligados à Geografia Econômica. Na primeira parte a discussão sobre os sistemas de ensino no Brasil e na Espanha dão a base para se tratar da especificidade do ensino da Geografia Econômica. Partindo-se desta discussão e da evolução do pensamento geográfico chega-se a uma interessante proposta metodológica para o ensino desta disciplina, algo muito útil para professores universitários e do ensino básico. A segunda parte do livro trata de um estudo de caso, o da cadeia produtiva da carne suína, na qual conceitos importantes como industrialização, tecnologia, ciclos, estratégias empresariais e inovação são tratados como base explicativa da dinâmica do setor analisado no Brasil e na Espanha. O uso da ideia de gênese e desenvolvimento de um setor econômico mostra a lei do movimento e identifica as principais questões que explicam a dinâmica espacial ligada à atividade econômica.

Estado, Ambiente e Movimentos Sociais

Textos selecionados a partir dos grupos de trabalho do XVII Encontro Nacional da ABRAPSO.

Autores: Machado, Frederico Viana (Org.); Massola, Gustavo Martineli (Org.); Ribeiro, Maria Auxiliadora Teixeira (Org.)

Vol. VIII da Coleção Práticas sociais, políticas públicas e direitos humanos

Intersecções em Psicologia Social: raça/etnia, gênero e sexualidades

Artigos selecionados a partir dos Grupos de Trabalho do XVII Encontro Nacional da ABRAPSO.

Autores: Martins, Hildeberto Vieira (Org.); Garcia, Marcos Roberto Vieira (Org.); Torres, Marco Antonio (Org.); Santos, Daniel Kerry dos (Org.)

Volume VII da Coleção Práticas Sociais, Políticas Públicas e Direitos Humanos. Florianópolis: Edições Bosque e ABRAPSO Editora.

Psicologia Social em experimentações: arte, estética e imagem



Textos selecionados a partir dos grupos de trabalho do XVII Encontro Nacional da ABRAPSO, em Florianópolis.

Autores: Reis, Alice Casanova dos (Orgs.); Hernandez, Aline Reis Calvo (Org.); Galindo, Dolores (Org.); Tittoni, Jaqueline (Org.); Magiolino, Lavínia lopes Salomão (Org.); Costa, Luis Artur (Org.); Lages, Rodrigo (Org.)

Distintas faces da questão social: desafios para a Psicologia

Coletânea de textos selecionados a partir de Grupos de Trabalho do XVII Encontro da ABRAPSO, Florianópolis.

Autores: Accorssi, Aline (Org.); Bousfield, Andréa Barbará S. (Org.); Gonçalves, Hebe Signorini (Org.); Aguiar, Katia (Org.); Guzzo, Raquel S. L. (Org.)

Psicologia social, violência e subjetividade

Textos selecionados.

Autores: Oliveira, Adélia Augusta Souto de (Org.); Caniato, Angela Maria Pires (Org.); Fonseca, Débora Cristina (Org.); Almeida, Juracy Armando Mariano de (Org.); Prado Filho, Kléber (Org.); Boarini, Maria Lúcia (Org.)

4a Edição temática da Coleção Práticas sociais, políticas públicas e direitos humanos.

Práticas e saberes psi: os novos desafios à formação do psicólogo

Em xeque, a formação do psicólogo em sua relação com nossos saberes e práticas. Em ano de intensas manifestações sociais, de incertezas nacionais, vamos à ação, às políticas públicas, espaço conquistado desde lá com dedicada militância. Amparados com nossas teorias e técnicas, tal como as aprendemos e nos foram oferecidas: de Marx a Foucault, da teoria crítica à cognição social; das estratégias de grupo aos questionários, observações e entrevistas… Com essa miscelânea apressadamente absorvida, vamos à favela, à fronteira, ao interior, ao hospital, à universidade. Inevitavelmente, quebramos a cara. Necessário pensar, recuar, rever saberes e fazeres, desconstruir nossa formação para que ela efetivamente aconteça. O conjunto de textos aqui reunidos enfrentou modestamente esse desafio.

Autores: Bock, Ana Mercês Bahia (Org.); Barroso, Lúcia Maria Ozório (Org.); Diehl, Rafael (Org.); Mortada, Samir Pérez (Org.)

Terceiro volume da Coleção Práticas sociais, políticas públicas e direitos humanos.

Psicologia Social e Saúde: da dimensão cultural à político-institucional

Os vinte capítulos que compõem esta publicação representam o crescimento e o movimento de mudança que a área da Psicologia Social e Saúde vivenciou com o processo de institucionalização das práticas profissionais promovido pelo SUS e seus dispositivos institucionais. O aspecto contextual e a alteridade apresentados por Spink como pontos fundamentais para o desenvolvimento das práticas em instituições de saúde perpassam a produção do conhecimento apresentado nesta publicação, evidenciando a marca da coletividade da perspectiva social para o campo da saúde.

Práticas Sociais, Políticas Públicas e Direitos Humanos reúne tra balhos completos oriundos do XVII Encontro Nacional da Associação Brasileira de Psicologia Social – ABRAPSO, realizado na Universidade Federal de Santa Catarina em outubro de 2013.

Autores: Guanaes-Lorenzi, Carla (Org.); Motta, Cibele Cunha Lima da (Org.); Borges, Lucienne Martins (Org.); Zurba, Magda do Canto (Org.); Vecchia, Marcelo Dalla (Org.)

Psicologia Social e Trabalho: perspectivas críticas


Textos de psicologia social relacionados à temática trabalho, em perspectivas críticas.

Autores: Coutinho, Maria Chalfin (Org.); Furtado, Odair (Org.); Raitz, Tânia Regina (Org.)

Vol. 1 da Coleção Práticas Sociais, políticas públicas e direitos humanos


Para outras informações, entre em contato conosco através do e-mail